Home Mercado Bandes investe R$ 23,5 milhões na economia criativa

Bandes investe R$ 23,5 milhões na economia criativa

87
0
SHARE

Investimento do Bandes em economia criativa chegará a R$ 23,5 milhões

Por Bárbara Deps Bonato

O apoio do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) a investimentos em economia criativa em todo o Estado chegará a R$ 23,5 milhões em 2018 em nichos específicos: linhas de crédito e Fundos de Investimentos em Participações (FIPs). O valor foi apresentado durante a reunião de Planejamento Estratégico do Governo do Estado, na sexta-feira (23) e no sábado (24).

O diretor-presidente do Bandes, Aroldo Natal, destaca que o Bandes está atento aos anseios da sociedade. “Estamos prontos para continuar atendendo nas linhas que já atuamos, como o crédito para micro e pequenas empresas, o crédito rural, mas também estamos querendo abrir novas frentes de atuação que permitam aumentar a competitividade das nossas empresas”.

Serão R$ 20 milhões em financiamentos a atividades produtivas com recursos do Nossocrédito e Bandes Criativo com apoio, por exemplo, a áreas de design, audiovisual e games. Outros R$ 3,5 milhões serão investidos por meio dos Fundos de Investimento em Participações Criatec 3 e Primatec.

Novidade no mercado, os financiamentos para a economia criativa têm como destino atividades econômicas que têm o capital intelectual como insumo principal para a geração de valor. “São formas de investimento diferentes e fontes de recursos distintas para atender aos vários perfis de empreendedores e de negócios”, explica o diretor-presidente.

Entre os segmentos apoiados pela economia criativa, merecem destaque: atividades de moda, design, artesanato, gastronomia e webdesign; a produção de obras audiovisuais, de filmes, vídeos, espetáculos, musicais, livros e fanzines; a realização de festivais, circuitos e feiras; desenvolvimento de games e conteúdos para web; despesas com registro de propriedade intelectual, licenciamento e aquisição de software, treinamento e certificação.

“O Bandes disponibiliza recursos, apoia cadeias produtivas, em parceria com outros órgãos como a Secretaria de Cultura, de forma a estabelecer uma relação entre a tecnologia, a inovação, cultura, criatividade e sustentabilidade e desta forma proporcionar o desenvolvimento equilibrado, envolvendo aspectos econômicos e sociais”, destaca Natal.

Nossocrédito

Apoiando principalmente atividades produtivas relacionadas ao comércio e serviços, o Nossocrédito permite que pequenos empreendedores, inclusive autônomos e associações, possam melhorar seus negócios com pequenas reformas como pinturas, produção e instalação de letreiros, compra de equipamentos, de ferramentas e de matérias-primas. O Programa também permite o financiamento de capital de giro.

Fruto de uma parceria entre o Bandes, Banestes, Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes), prefeituras e Sebrae-ES, o Nossocrédito vem proporcionando oportunidades de crescimento e dinamizando a economia dos municípios capixabas.

FIPs

Outra alternativa para diversificar o apoio a empresas de vários segmentos são os Fundos de Investimento em Participações (FIP). Esse tipo de investimento é uma modalidade de apoio distinta do crédito tradicional, onde uma empresa gestora do fundo identifica o potencial de crescimento de um negócio e adquire um percentual de suas ações. Ou seja, o fundo prospecta empresas e entra como sócio acionista oferecendo capital, gestão, estratégia e governança para alavancar o negócio de forma rápida e estruturada, especialmente no que diz respeito a startups.

O que achou dessa matéria?
[Total: 1 Média: 5]
SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here