Home Lazer Lançamento do livro “André Carloni”

Lançamento do livro “André Carloni”

106
0
SHARE

Exposição e lançamento de livro homenageiam André Carloni no Arquivo Público

Atuante em diversas áreas da criação, pintura e arquitetura, André Carloni será homenageado com uma exposição e lançamento de livro sobre a sua trajetória, escrito por Bartolomeu Boeno de Freitas. A mostra “André Carloni: a arte como memória” será aberta na quinta-feira, dia 31, às 19h, no Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (Apees) em uma parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan-ES). A exposição é composta por desenhos de bico de pena pertencentes aos acervos do Iphan, do Apees, da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Museu Solar Monjardim.

André Carloni nasceu na Bolonha, Itália, em 1883, e veio para o Estado em 1890. O jornalista Antonio Gurgel, coordenador da coleção “Grandes Nomes do Espírito Santo”, no qual o livro “André Carloni” se insere, destaca que ao ser contratado como pintor, em 1895, durante a construção do Theatro Melpômone, Carloni se descobriu como artista e começou a desenhar cartazes relativos a peças teatrais. Iniciou-se também na prática de projetar prédios e estradas, sendo o responsável por diversas atividades na área da construção civil. “Espírito jovial e empreendedor, entrou para a história por seu pioneirismo, ao introduzir em Vitória o primeiro automóvel que circulou no Estado, tendo ele mesmo que orientar a pavimentação das ruas por onde o carro pudesse transitar. André Carloni contribuiu amplamente para a modernização não apenas da capital, mas de todo o Espírito Santo” afirma.

Como arquiteto autodidata, Carloni foi responsável por obras que são marcos para a paisagem urbana capixaba como o Theatro Carlos Gomes, a Santa Casa de Misericórdia, Palácio Domingos Martins, Parque Moscoso, Clube Saldanha da Gama, Fafi, dentre outros. Registrou ainda, em desenhos e aquarelas, imagens urbanísticas de Vitória, muitas delas modificadas ou desaparecidas pelo tempo, mas conservadas em suas telas e traços. Representante do Iphan em sua primeira fase de atuação no Espírito Santo, Carloni foi o responsável por nove tombamentos de bens do período colonial. Ele deixou contribuições grandiosas durante as décadas que esteve à frente do Instituto, desenvolvendo um importante trabalho na identificação do patrimônio histórico nacional e restauração de monumentos.

Exposição da arte como memória” e lançamento do livro “André Carloni” no Arquivo Público do Estado do Espírito Santo na rua Sete de Setembro, 414, Centro, Vitória.

O que achou dessa matéria?
[Total: 0 Média: 0]
SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here