Home Estado Policial civil é morto ao tentar impedir assalto

Policial civil é morto ao tentar impedir assalto

77
0
SHARE

Foto: Reprodução

Marcelinho (PC) foi levado para o hospital onde não resistiu e veio a óbito

Policial civil é morto ao tentar impedir assalto na BR 259

Uma policial, mas vitima da falta de segurança instalou no Estado, vitimou a tiros na noite desta terça-feira, dia 7, na rodovia BR 259, em Colatina, na Região Noroeste do Estado.

Mário Marcelo de Albuquerque, um investigador da Polícia Civil (PC), chegou a ser encaminhado para o hospital São Bernardo em Colatina, onde não resistiu e veio a óbito.

Segundo informações do Sindicato dos Investigadores da Polícia Civil, ele estava de serviço e tentou intervir no roubo de uma motocicleta. Mário Marcelo de Albuquerque, conhecido como Marcelinho, estava em um veículo da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) com um colega.

Na altura da curva Mário Cassani, próximo ao distrito colatinense de Baunilha, os dois se depararam com bandidos tentando roubar a motocicleta de um eletricista, de 23 anos. Os policiais tentaram intervir e houve troca de tiros. Márcio Marcelo foi atingido no abdome e socorrido pelo colega que o conduziu para hospital São Bernardo em Colatina.

O policial civil, no entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu. O colega que estava com Mário Marcelo e o eletricista não foram atingidos. Os bandidos conseguiram fugir e ainda não foram localizados. A moto não foi levada por eles.

De acordo com a esposa do eletricista, o marido voltava pilotando uma moto de Baunilha para casa, em Vista da Serra, Colatina, quando, ao passar por um radar, foi surpreendido por dois homens armados.

“Meu marido disse que dois policiais civis abordaram no momento em que ele iria ser assaltado. Houve troca de tiros. Estou muito assustada com tudo isso”, contou.

Indignação

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindipol) Jorge Emílio Leal disse que a categoria está consternada com o crime. Segundo Leal os policias civis não descartam paralisar as atividades a partir de quinta-feira, quando uma reunião da associação está marcada na Chefatura de Polícia Civil, em Vitória.

“O sentimento é de indignação com a morte do nosso colega. Indignação com o descaso com que o Governo do Estado trata a segurança pública. Quando o Governo não trata a segurança com seriedade, dá no que deu, nesse clima de terror que a gente está vendo. Estão brincando com a segurança pública”, desabafou o representante do sindicato.

O que achou dessa matéria?
[Total: 0 Média: 0]

SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here