Home Estado Paulo Hartung debate pendências com Temer

Paulo Hartung debate pendências com Temer

118
0
SHARE
O presidente Temer em reunião anterior com Hartung, ambos do PMDB estiveram reunidos para debater segurança, licença para Porto, inauguração do aeroporto e recurso para Saúde e obras em BR – Foto: Arquivo

O governador Paulo Hartung e o presidente da República, Michel Temer, ambos do PMDB, estiveram reunidos na tarde de quarta-feira, dia 21, para debaterem uma lista de antigas pendências do Estado. Eles também conversaram sobre a intervenção na Segurança Pública do Rio de Janeiro. O governador falou sobre a experiência capixaba de atuação conjunta com as forças armadas, destacou o Programa Ocupação Social, que atua junto a jovens e adolescentes que não estudam e não trabalham, e detalhou a reforma do sistema carcerário capixaba.

Paulo Hartung aproveitou a audiência para resolver gargalos antigos do Estado, entre eles, a inauguração do novo Aeroporto de Vitória. “Uma conquista de nós capixabas em uma pauta em que vários personagens e lideranças participaram. Conversei com o presidente e, imediatamente, ele agendou a inauguração para o próximo dia 29 de março”, disse. Na oportunidade, o governador capixaba foi convidado por Temer para decolarem em mesmo voo em Brasília e realizarem o primeiro pouso oficial na pista do novo aeroporto.

Também esteve na pauta de trabalho a reavaliação do repasse de verbas do Governo Federal para o Estadual via Sistema Único de Saúde (SUS). Em trabalho junto à Bancada Federal, o Governo do Estado questiona os valores repassados pela União. “Estamos falando dos atendimentos de média e alta complexidade realizados no Espírito Santo que estão com valores defasados em comparação com a média nacional e regional. Deixamos uma carta que detalha e justifica essa reivindicação”, explica Hartung.

Outro importante tema abordado para o desenvolvimento socioeconômico do Estado, principalmente para região sul capixaba, foi a licença de instalação do Porto Central. De acordo com o presidente da República, a licença do empreendimento será assinada no próximo dia 2 de março, em Brasília. O Porto será construído em Presidente Kennedy, no sul do Estado, e aguarda licença de instalação, que está em fase final de avaliação do Ibama. A obra deve envolver mais de R$ 3 bilhões de investimento com contratação de 4,7 mil pessoas.

Também foi debatido o início das obras de duplicação da BR 262 e da Rodovia do Contorno. “São intervenções importantes que impactam profundamente na mobilidade e na segurança. O presidente informou que a BR 262 está com início liberado e, internamente no Governo Federal, pediu agilidade no início das obras do Contorno”, disse Hartung.

Aeroporto

A obra de ampliação do Aeroporto Eurico de Aguiar Salles, em Vitória, é de responsabilidade do Governo Federal e foi retomada em junho de 2015. O investimento total é de R$ 523,5 milhões. O novo aeroporto elevará a capacidade de transportar passageiros, por ano, de 3,3 milhões para 8,4 milhões. A pista também ficará maior, passando de 1.750m para 2.058m e, no futuro, será possível receber voos internacionais. A obra está bastante adiantada, com algo entorno de 96% da obra concluída.

Porto Central

O Porto Central é um complexo portuário multiuso, sob regime condominial, de águas profundas e de classe mundial, com infraestrutura para atender empresas industriais e de serviços que dão suporte à indústria do petróleo e, também, para a operação de contêineres, granéis sólidos e líquidos, carga geral e veículos. Durante a obra, prevista para começar entre 2018 e 2019, o empreendimento deve contratar 4,7 mil pessoas. O Porto Central será construído em Presidente Kennedy, Sul do Estado, e aguarda licença de instalação, que está em fase final de avaliação do Ibama. A obra deve envolver mais de R$ 3 bilhões de investimento.

Saúde

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, acompanhado da bancada capixaba no Congresso Nacional, se reuniu na terça-feira, dia 20, em Brasília, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros. Foi apresentado o cenário do financiamento dos serviços de saúde no Espírito Santo. O Ministério da Saúde deixou de repassar para o Espírito Santo R$ 235.779.879,89. O governo federal tem reduzido sucessivamente a destinação de recursos aos estados e municípios. Em 1993, a União era responsável por 72% do financiamento da saúde. Em 2013, a participação caiu para 43% e, desde então, só vem diminuindo. A saúde tem o maior orçamento do Estado. O Espírito Santo é o segundo estado que mais investe em saúde com recursos próprios, atingindo, em 2017, 18.75% da receita corrente líquida, quando o limite constitucional para aplicação na saúde é de 12%.

O Espírito Santo tem o menor repasse financeiro, per capita, por parte do Ministério da Saúde, entre os estados da Região Sudeste, para financiar a Média e Alta Complexidade (MAC). Para que o Estado receba pelo menos a média do que recebe estes estados, para financiar a MAC, seria necessário aumentar o seu limite financeiro da MAC para R$ 31.203.493,34.

O que achou dessa matéria?
[Total: 0 Média: 0]
SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here