Home Estado Grilagem reconvoca policiais para depor na CPI

Grilagem reconvoca policiais para depor na CPI

141
0
SHARE
Osvaldo Dadalto presta esclarecimentos à CPI. Foto: Tati Beling/Ales

Por: Aldo Aldesco

Cinco convocados por acusação de invasão de terras e derrubada de mata nativa em Conceição da Barra não compareceram para prestar esclarecimentos à CPI da Grilagem, na quarta-feira, dia 30, no Plenário Rui Barbosa da Assembleia Legislativa. Quatro deles são policiais. “Acho um desrespeito com a Assembleia um policial militar ser convocado e não comparecer”, disse o presidente do colegiado, deputado Euclério Sampaio (PDT).

São eles, os policiais militares Ronaldo Araújo Norbim, Jailson Pereira dos Anjos, Benvindo Geraldo Ziviane, Adenildo Machado. O quinto convocado, Natival Almeida dos Santos, segundo a acusação, é o protagonista da invasão de uma área de 10 hectares de propriedade particular para construir casas. Eles serão reconvocados para a reunião de 13 de setembro, às 12 horas.

O membro da corregedoria da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) que compareceu à reunião confirmou que a convocação da CPI chegou ao comando da corporação. Caso os convocados não comparecerem outra vez, estão sujeitos à condução coercitiva, segundo lei federal.

Durante depoimento em 23 de agosto a proprietária do terreno, Marly Amaral Queiroz, relatou que quando se encontrava fora do Estado, o senhor Natival Almeida dos Santos entrou na propriedade dela alegando que a terra era devoluta e a desmembrou. Trata-se de uma área nativa às margens do Rio São Domingos, em Conceição da Barra, que foi desmatada para a construção das casas.

Cariacica

O colegiado também deve tratar nas próximas reuniões de um caso de venda de escritura que está acontecendo no Bairro de Bela Aurora, em Cariacica. Uma empresa arrecadou dinheiro dos moradores prometendo regularizar a escritura dos terrenos no bairro. Deve ser convidado o presidente da Associação dos Moradores de Bela Aurora.

Investigação

A CPI da Grilagem investiga denúncias de aquisições irregulares de terras no Espírito Santo. Dezenas de imóveis públicos estariam sendo adquiridos em várias cidades do Espírito Santo de forma ilegal. Devem ser apuradas também suspeitas de invasão de terrenos, estelionato, fraudes e crimes contra administração pública. O prazo de funcionamento do colegiado é até outubro deste ano.

Instalado em dezembro de 2016, o colegiado é presidido pelo deputado Euclério Sampaio (PDT). O vice-presidente é Gilsinho Lopes (PR). A relatoria é de Bruno Lamas (PSB). Faz parte também da CPI, como membros titulares, o deputado Hudson Leal (PTN) e Marcelo Santos (PMDB). Os suplentes são Da Vitória (PDT) e Freitas (PSB).

O empresário José Murilo Coutinho de Nova Almeida contestou na CPI a queixa-crime feita por Ludovico Pimentel Serra – Foto: Tati Beling
O que achou dessa matéria?
[Total: 0 Média: 0]
SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here