Home Cidade Ameaça de morte em posto médico da Serra

Ameaça de morte em posto médico da Serra

288
0
SHARE
Unidade de Atenção Primária a Saúdedo bloco B no bairro Planalto Serrano no distrito de Serra Sede – Foto: Reprodução Simes

O jornal “A Tribuna” publicou, na sexta-feira do dia 25 de agosto, matéria abordando a violência que sofre o profissional médico, nos municípios da Grande Vitória. Profissionais do programa Mais Médicos saíram de unidade de saúde escoltados para fazer boletim de ocorrência.

Após receberem ameaças de morte dentro de unidade de saúde onde trabalham, médicos estrangeiros do programa do governo federal “Mais Médicos”, enfermeiros e outros funcionários, foram escoltados por policiais militares até uma delegacia, naquela manhã na Serra. Após o ocorrido, o posto no bairro Planalto Serrano fechou e não funcionou mais pelo resto daquele dia.

Testemunhas revelaram para a reportagem de A Tribuna que as ameaças de morte são frequentes e vem acontecendo há algum tempo. Naquela quarta-feira, dia 23, três homens encapuzados teriam invadido Unidade de Atenção Primária a Saúde (Uaps), que fica no bloco B do bairro Planalto Serrano. Os homens teriam entrado em consultórios como se estivessem procurando alguma coisa ou alguém.

Depois de um tempo, eles saíram sem fazer nada com os funcionários. Porém, na manhã do dia 25, testemunhas revelaram para a reportagem que as ameaças voltaram a acontecer, depois que um homem entrou na unidade de saúde. Um médico argentino, que estava tomando café na cozinha, teria sido ameaçado de morte pelo homem.

De acordo com as testemunhas, o homem teria falado ao médico que oito criminosos iriam aguardar o profissional chegar na unidade de saúde para matá-lo. Segundo moradores do bairro, as ameaças de morte feita por bandidos a funcionários do posto são constantes e estariam partindo de um traficante que atua na região.

O criminoso estaria em busca de vingança após ter familiares assassinados enquanto estava preso. Depois da confusão que aconteceu naquela manhã de do dia 25 a Polícia Militar (PM) foi acionada e precisou retirar três médicos do local. Dois médicos, um argentino e um cubano, foram escoltados até a 3ª Delegacia Regional da Serra onde registraram ocorrência.

Eles preferiram não conversar com a reportagem de A Tribuna. Outros funcionários do posto também estiveram no local e não quiseram dar entrevistas.

O clima era de nervosismo e tristeza entre os profissionais. Alguns funcionários chegaram a chorar enquanto a ocorrência era feita na delegacia. Testemunhas afirmaram que o médico argentino atua na unidade de saúde há quase um ano. Ele está no Esprito Santo à cerca de quatro anos trabalhando.

Campanha do sindicato diz para profissionais não trabalharem na Serra –  – Foto: Reprodução Simes

Serra tem 42 denúncias de violência contra os médicos

A ameaça sofrida pelo médico generalista, que no Brasil equivale a um médico da família e cuida e todos os ciclos de vida de recém-nascidos a idosos, não foi um caso isolado, segundo o Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes).

De acordo com o sindicato, foram pelo menos 42 denúncias de violência contra médicos no município da Serra, somente no primeiro semestre deste ano. A cada mês, informou o sindicato, chegam em média de 7 a 12 denúncias dessa natureza ao sindicato.

Segundo presidente do Simes, doutor Otto Baptista, as denúncias de violência a profissionais da saúde foram encaminhadas à Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) e à Prefeitura da Serra.

“Essas agressões são corriqueiras e, diariamente, recebemos denúncias desses crimes”, afirmou.

Baptista informou que ainda não tinha conhecimento da ameaça sofrida pelos médicos ontem, por estar em um congresso em Brasília.

Entretanto, lembrou que o sindicato fez uma campanha, recentemente, colocando outdoors pela Grande Vitória, aconselhando os profissionais da saúde a não ocuparem postos de trabalho no município por conta da violência.

“As unidades de saúde também sofrem furtos à noite, depredações e ataques”, frisou o presidente.

E completou: “Sabemos que Planalto Serrano, Novo Horizonte e Jardim Carapina são bairros de extrema violência”.

Conversa foi sobre fechada no trânsito, diz morador

Apesar de um médico que trabalha  na unidade de bairro Planalto Serrano ter afirmado que foi ameaçado de morte, um morador da região, de 29 anos, afirmou que foi até o local apenas para conversar com o médico, após um problema no trânsito.

O morador disse que levou uma fechada do médico quando chegava ao bairro com a mulher e a filha de 1 ano e três meses. “Ele me deu uma fechada. Eu quase bati em um poste”, disse o morador, que pediu para não se identificar.

Eu não sabia nem quem ele era. Depois alguém me falou que o carro que tinha me fechado estava na garagem do posto”. destacou. “Eu perguntei para ele o motivo dele ter me fechado, só queria conversar, em momento algum fiz ameaças”.

Delegacia da Serra: Ocorrência. – Foto: Reprodução Simes

Bairro está na lista dos mais perigosos do município da Serra

O bairro Planalto Serrano está na lista dos 13 bairros mais perigosos da Serra em que a operação integrada da prefeitura, Policia Militar, Ministério Público e Judiciário vai caçar criminosos e fiscalizar o cumprimento da lei de horário de funcionamento dos bares. Essa informação foi dada, com exclusividade, por A Tribuna na edição do dia 24.

Estão na lista ainda os bairros serrano de: Novo Horizonte, Central Carapina, Serra Centro na Serra Sede, Jardim Carapina, Jardim Tropical, Carapebus, Feu Rosa, Vila Nova de Colares, Bairro das Laranjeiras, Parque das Gaivotas, Jardim Limoeiro e Ourimar.

O comandante do 6º batalhão da Policia Militar (Serra), tenente-coronel Mauro, destacou que as ações integradas estão sendo realizadas e que o bairro conta com uma viatura da 4ª companhia sediada no bairro Colina da Serra, em Laranjeiras, que atende 24 horas por dia. “Na manhã do dia 25 de agosto, estaremos no posto ao longo do dia para fazer visitas tranquilizadoras”, disse ele.

O que achou dessa matéria?
[Total: 0 Média: 0]
SHARE

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here